Da fiação ao varejo, movimento Sou de Algodão já conquistou o engajamento de 100 marcas.

Compartilhar
Share on emailMande esta matéria por e-mailShare on printImprimir
Postada em: 30/05/2019


Criado para fomentar o consumo da commodity no mercado brasileiro, o movimento Sou de Algodão já conseguiu o engajamento de 100 marcas à causa de promover a fibra têxtil natural, biodegradável e geradora de desenvolvimento. A iniciativa foi criada pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e lançada, em 2016, durante a São Paulo Fashion Week. De fiações, passando pelas tecelagens, confecções, gigantes do varejo, e até empreendedores artesanais, Sou de Algodão já alcançou todos os principais elos da cadeia produtiva e se aproxima do seu target maior, o consumidor.

De acordo com o presidente da Abrapa, Milton Garbugio, conquistar a centésima marca é emblemático para o movimento. "Começamos muito pequenos. Primeiro, conclamamos os elos da cadeia que atuam diretamente na produção. Depois, fomos conversar com quem pensa a moda e lança as tendências, estilistas, designers, professores, estudantes e a indústria têxtil e de confecção. Agora, cada vez mais, ganhamos a adesão do varejo, e seguimos rumo à nossa meta de conquistar a preferência do consumidor consciente", diz o presidente da Abrapa.  Com o avançar das etapas previstas para o movimento, a entidade projeta um incremento de 10 pontos percentuais no consumo da pluma, no país, em cinco anos.

 

 

Para a tarefa de ganhar mais espaço para o algodão no guarda-roupa do brasileiro, o movimento destaca as vantagens da matéria-prima, desde as inerentes, como conforto, durabilidade, e o fato de ser natural, antialérgico e biodegradável, até as relacionadas a conceitos como estilo e inclusão. Mas um dos grandes "trunfos" da Abrapa na concorrência com outras matérias-primas têxteis é a sustentabilidade na produção da fibra.

 

"O Brasil tem uma das maiores produtividades na cotonicultura do mundo, irrigando apenas 8% de sua área", explica o presidente da Abrapa. Ele enfatiza o programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), de certificação de pluma sustentável, que, no Brasil, atua em benchmark com a Better Cotton Initiative (BCI), referência mundial neste quesito. Atualmente, o Brasil já representa 31% de todo o algodão licenciado pela BCI, o que faz dele o maior fornecedor global de fibra sustentável.

 

O Sou de Algodão é resultado de um estudo – até 2015, inédito – sobre os hábitos de consumo de têxteis pelo brasileiro, de vestuário a produtos de casa mesa e banho. Esse trabalho, conduzido pela empresa Markestrat/USP, dividiu o público consumidor por categorias. "A partir do diagnóstico, pensamos em um formato capaz de ser atrativo e de gerar identificação com a sociedade como um todo, partindo do princípio de que o algodão é a fibra democrática, inclusiva e versátil, que, através das eras, tem sido a primeira opção de matéria-prima para vestir a humanidade", argumenta Garbugio.

 

Relação de marcas por segmento de mercado

 

Artesanato

Atelier Patch e Costura, Bordana, Cabocla Criações, Inbordal, Marina Abdalla Atelier, Ong Orientavida e Trecê Brasil.

 

Cama, Mesa e Banho

Artex, Casa Charllô, Casa Moysés, MMartan, Santista Decora, Toalha Appel e Toalhas Groh.

 

Confecção – estilista Casa de Criadores

Diego Fávaro, Heloísa Faria, Isaac Silva e Ken-Gá Bitchwear.

 

Confecção – feminina

Cecília Prado, Disparate, Equus, Farm, Juanna Têxtil, Martha Medeiros, Reserva Natural, Secret Glam, Shakti Confecção Pranica, Sogni Belli e Über Jeans.

 

Confecção fitness

Track&Field

 

Confecção  genderless

Another Place e Sueka.

 

Confecção Infantil

Amora, Brandili, BugBee, Fluory, Fofa Studio, Juliana Carrijo, Kyly, Lemon, Mini Hugs, Milon, Mini Hugs, Nanai, Nigambi, Precoce, Rovitex Kids, Taci Baby, Trick Nick, Yuks e Z.Low Kids.

 

Confecção – infantil a adulto

Rovitex

 

Confecção – jeans

Gardana Jeans e Trich.

 

Confecção – juvenil

Rovitex Teen

 

Confecção – moda íntima

Alices Modas, Hoot Cuequeria, Love Secret.

 

Confecção – masculina

Escolta, Highstil, Mahara Green, Mr Stone, Rock&Soda, Soul Básico e Sudotex.

 

Confecção – feminina e masculina

Ahmar Manifesto, Rovitex Premium e Zune Jeans.

 

Confecção – pijamas

Cor Com Amor, Duran Loungewear, Lachle, Mensageiro dos Sonhos e Varal RJ.

 

Confecção – sustentável:

Ahlma, Áurea Moda Circular, Narooma e Thear Vestuário.

 

Confecção – design

Estyllus Denim Design

 

Fiação

Incofios, Maliber e Norfil.

 

Malharia

Dalila Têxtil, HC Têxtil, Menegotti e Urbano Têxtil

 

Tecelagem:

Canatiba, Cataguases, Capricórnio Têxtil, Cedro Têxtil, G.Vallone, ITM Têxtil, Jolitex, Paraguaçu Têxtil, Paranatex, Santana Textiles, Santanense, Santista Jeanswear, Tecelagem Panamericana e Vicunha.

 

Varejo de Moda

Lojas Renner

 

 

 

30.05.2019

Imprensa Abrapa

Catarina Guedes – Assessora de Imprensa

(71) 98881-8064