Cotonicultores congratulam a deputada Tereza Cristina pela indicação ao Mapa

Compartilhar
Share on emailMande esta matéria por e-mailShare on printImprimir
Postada em: 08/11/2018

A Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) recebeu com satisfação a notícia da indicação da deputada federal Tereza Cristina ao cargo de ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Tereza Cristina concilia conhecimento técnico e habilidade política para liderar a pasta que representa o grande pilar da economia brasileira, responde por um terço de todas as riquezas geradas no país e um terço dos empregos. O agro brasileiro, bem sabe a ministra, tem a missão de se tornar ainda mais vigoroso em um prazo muito curto, porque a ele caberá a responsabilidade de garantir 41% da demanda adicional por alimentos no planeta, nos próximos dez anos, segundo dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o USDA.

Na produção de fibras têxteis para essa crescente população mundial, o Brasil deixou de ser um país importador para, não apenas se tornar autossuficiente em algodão para abastecer a indústria nacional, como ainda conquistar o posto de quarto maior produtor mundial, terceiro maior exportador, primeiro lugar no ranking global de produtividade nas lavouras da fibra sem irrigação, e maior fornecedor de algodão sustentável do mundo, licenciado pela ONG suíça Better Cotton Initiative (BCI).

Por sua formação de Engenheira Agrônoma, Tereza Cristina conhece de perto a dinâmica das cadeias produtivas, suas urgências e demandas, e a dificuldade de se fazer agricultura num país tropical - seja em pequena ou larga escala - se não houver incorporação tecnológica, e investimento em pesquisa e desenvolvimento, para mitigar os riscos climáticos e combater às pragas e doenças que prejudicam as lavouras e planteis. Sabe também que quanto mais produtivos nos tornamos, mais necessários são os investimentos em infraestrutura para escoamento da safra, embarque do excedente e acesso aos insumos agrícolas. Tereza Cristina entende que

segurança jurídica é condição necessária para que o produtor rural exerça o seu trabalho, nobre e imprescindível. Como política, a deputada sabe que são muitos os gargalos ao pleno desenvolvimento do agronegócio, os quais ela conhece de perto e sempre atuou para sanar, na sua trajetória marcante como deputada e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) junto ao Congresso Nacional.

Os cotonicultores brasileiros têm certeza de que a missão será cumprida com competência e louvor, para o quê a ministra contará com o nosso apoio. Parabenizamos à deputada Tereza Cristina pelo novo cargo e ao presidente eleito pela escolha do seu nome para tal.


Arlindo de Azevedo Moura,
Presidente da Abrapa,
Associação Brasileira dos Produtores de Algodão.