11º CBA - Pesquisadores destacam programas fitossanitários como principal inovação da cotonicultura brasileira

Compartilhar
Share on emailMande esta matéria por e-mailShare on printImprimir
Postada em: 31/08/2017

Nos últimos três anos, o número de aplicações de inseticidas para combate ao bicudo-do-algodão no Brasil teve uma queda de 30% a 40%, enquanto os danos à produtividade ficaram próximos a zero. Estes são alguns dos resultados positivos creditados ao surgimento dos programas fitossanitários estaduais. Principal inovação surgida na cotonicultura brasileira nos últimos anos, o modelo foi alvo de análise de especialistas na tarde da quarta-feira (30.08) durante o 11º Congresso Brasileiro do Algodão (11º CBA). Realização da Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa), o evento prossegue até esta sexta (01.09), no Pavilhão de Exposições do Centro de Convenções de Maceió, em Alagoas.

Mantidos pelas associações de produtores rurais, os programas fitossanitários são desenvolvidos por meio de núcleos que reúnem lideranças e grupos técnicos para discutir os problemas locais e a adoção de medidas. "A solução dos problemas dos produtores passa por medidas coletivas, de ampla adesão e regionalizadas", acredita o engenheiro agrônomo Paulo Degrande, professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). "A inovação consiste no olhar do produtor sobre o que acontece nas suas fazendas", ressalta.

Uma das experiências do gênero debatidas durante o evento foi o programa fitossanitário da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa). "Em dois anos, nós reduzimos o número de aplicações de inseticidas de uma média de 25 a 30 para 12 a 15, durante todo o ciclo do algodão", informa o coordenador do programa da Abapa, Antônio Carlos Araújo. 

A sala temática sobre os programas fitossanitários contou ainda com uma palestra de Jacob Crosariol Netto, pesquisador do Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMAmt), e a presença dos pesquisadores Wanderley  Oishi, consultor da Fundação Goiás,  Luiz Pannuti, coordenador de Planejamento Agrícola na área de Entomologia da SLC Agrícola, e Wilhelmus Beckers, diretor da Associação Paulista dos Produtores de Algodão (Appa), que atuaram como debatedores.

 

O quê: Congresso Brasileiro do Algodão

Onde: Pavilhão de Exposições do Centro de Convenções de Maceió/AL

Quando: de 29 de agosto a 1 de setembro de 2017

Quem realiza: Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) 


31.09.2017

Imprensa Abrapa CBA

Catarina Guedes

(71) 98881-8064

(77) 98802-0684