Sign In

Abrapa

  

 Notícias

Título :

Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

ALGODÃO PELO MUNDO #2

- Algodão em NY - Mais uma semana de ganhos em NY, motivados pelo relatório altista do USDA desta semana tanto para algodão quanto para milho e soja. O contrato mar/21 fechou nesta quinta em 81,15 U$c/lp, com alta de 1,7% na semana. - Altistas 1 - Na última semana, as altas de milho e soja foram respectivamente 7,6% e 3,3%, tornando a relação de preço ainda mais favorável para estas duas commodities à medida que as definições de plantio se aproximam nos EUA. No próximo mês o National Cotton Council dos EUA irá divulgar sua pesquisa anual de intenção de plantio. - Altistas 2 - O relatório de oferta e demanda do USDA de janeiro divulgado nesta terça confirmou uma safra menor nos EUA. Os números de produção dos EUA 2020/21 foram reduzidos em 996.000 fardos (217 mil tons) para 14,95 milhões (3,26 milhões de tons). Esta foi a menor produção do país desde 2013/14. - Altistas 2 - O relatório americano também projetou estoques finais dos EUA com 1,1 milhão de fardos (240 mil tons) a menos que a projeção anterior do órgão em Dez/20. - Altistas 3 - Em relação aos números globais da fibra, a relação estoque-uso global foi reduzida para 83,2%, 1 p.p. abaixo da projeção do mês anterior e 13,6 p.p. abaixo de 19/20, quando a relação fechou em 96,8%, a maior de toda história. - Brasil Exportações 1 - As exportações de algodão iniciaram 2021 em ritmo acelerado. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia, a fibra foi o terceiro produto mais exportado do país na primeira semana do ano, perdendo apenas para minério de ferro e petróleo, com receitas de US$ 243 milhões na semana. - Brasil Exportações 2 - Em volume, foram exportadas 157 mil toneladas na semana. Tudo indica que as exportações do mês devem superar o recorde para o mês de janeiro que é de 308 mil toneladas. - EUA Exportações - Os números de exportação semanal dos EUA foram 64 mil toneladas de algodão. Entretanto, os números de vendas semanais ficaram em 81 mil toneladas. As exportações do país estão no ritmo de atingir os 3,32 milhões de tons projetados para 20/21. - China 1 - O governo dos EUA anunciou na quarta-feira um boicote a produtos da região de Xinjiang, na China. As autoridades americanas disseram bloquearão a entrada no país de produtos feitos com algodão produzido na região de Xinjiang. - China 2 - A região de Xinjiang responde por 90% da produção Chinesa de algodão e na safra 20/21 produziu o equivalente a 5,35 milhões de toneladas de algodão segundo a BCO. - China 3 - Segundo fontes locais o algodão de Xinjiang continua mais valorizado na China do que o algodão importado (+1.500 RMB/ton ou US$ 232/ton). As mesmas fontes estimam que quando esta diferença cair para metade dos patamares atuais, a Reserva estatal deve entrar comprando. - China 4 - A situação do boicote deve acelerar a liberação de pelo menos mais 900 mil toneladas em novas quotas de importação de algodão nos próximos dias. As quotas anteriores já se esgotaram. - Cotton Brazil – Depois do lançamento e do evento na China no mês passado, este mês estão programados webinars Cotton Brazil Days na Índia (21/1), Vietnã (25/1) e Coréia do Sul (28/1). Os eventos estão sendo realizados pela Abrapa, Anea e Apex Brasil em parceira com as Embaixadas do Brasil no exterior e entidades locais do setor têxtil. - Agenda – Na próxima segunda não haverá mercado nos EUA pois será feriado de Martin Luther King no país (18/Jan). - Brasil Beneficiamento 19/20 - Mato Grosso 98,5%; Bahia 100%; Goiás 100%; Minas Gerais 100%; Mato Grosso do Sul 100%; Maranhão 80%; Piauí 100%; São Paulo 100%; Tocantins 100% e Paraná 100%. Média Brasil 98,5% beneficiado - Brasil Plantio 20/21 - Números até ontem Mato Grosso 8%; Bahia 87%; Goiás 74%; Minas Gerais 75%; Mato Grosso do Sul 80%; Maranhão 78%; Piauí 100%; São Paulo 87%; Tocantins 87% e Paraná 100%. Média Brasil 30% semeado - Preços - A tabela abaixo ⬇ mostra os últimos movimentos de preços, índices e câmbio que impactam o mercado de algodão.

Postado em: 15/01/2021


Abrapa é destaque na coluna “Cabeça de Líder” de José Luiz Tejon, na Jovem Pan

Algodão faz aquilo que o Brasil precisa fazer governança e marketing

​O "cotton Brazil" foi lançado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com apoio da Apex-Brasil e da Associação Nacional de Exportadores do Algodão do Brasil (Anea). Exatamente 20 anos atrás o algodão tinha sido destruído pela incompetência da gestão dos elos da cadeia produtiva do algodão. Hoje somos o maior exportador mundial de algodão responsável, dentro da sustentabilidade.Fizemos um salto de qualidade. O setor não se contentou em fazer bem feito somente no dentro da porteira. Envolveu a ciência que antecede a lavoura e incluiu o setor industrial dos têxteis. Inovação com código de barras, fazendas de origem, certificação. E um salto importante de comunicação. Diálogo com estilistas, varejistas, empresários da indústria, produtores e consumidores finais.Sou algodão. E agora lá na Ásia, um competente executivo brasileiro, Marcelo Duarte, representa as ações de marketing perante os clientes internacionais. De São Paulo Fashion Week, à família de produtores rurais, esta cadeia produtiva é show nas passarelas da modernidade.Renasceu da destruição e exemplifica o que temos que fazer em todas as demais cadeias produtivas ao invés de ficarmos brigando entre os elos do antes, dentro e pós-porteira ou falando mal da sociedade e de clientes e consumidores. Agora qual o segredo do algodão? Simples. Onde têm líderes de qualidade podemos observar a qualidade da prosperidade.Em 20 anos, do segundo maior importador mundial de algodão viramos o 2º maior exportador mundial e com sustentabilidade. Exatamente fazendo o que o cliente quer e, unidos, toda a cadeia produtiva.Parabéns líderes, Arlindo Moura, Milton Garbugio, novo presidente Júlio Busato, vice-presidente Alexandre Schenkel da Abrapa. E sucesso Marcelo, aí na Ásia. Líderes de qualidade revelam a qualidade da prosperidade.Parabéns algodão do Brasil! Ai não tem besteira, tem liderança guerreira.José Luiz Tejon para a Jovem Pan.Confira na página da Jovem Pan https//blog.jovempan.com.br/cabecadelider/tejon/algodao-faz-aquilo-que-o-brasil-precisa-fazer-governanca-e-marketing/

Postado em: 11/01/2021


Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

​ALGODÃO PELO MUNDO #21

Algodão em NY - A curva ascendente do mercado, que já dura mais de 8 meses, continuou com os preços rompendo a barreira dos 80 U$c/lp logo na primeira semana do ano. O contrato mar/21 fechou nesta quinta em 79,76 U$c/lp, com alta de 4,7% na semana. Algodão em NY 2 - Contra muitas previsões, no acumulado do ano passado, o algodão fechou o ano no positivo com alta de 10,3% na bolsa americana. O pior momento do ano foi em 1º de Abril, quando a fibra fechou valendo 48,85 U$c/lp. Altistas 1 - Uma série de fatores têm impulsionado os preços da fibra, com destaque para aumentos nos preços de outras commodities, com destaque para soja e milho, grande liquidez global, enfraquecimento do dólar americano e início das vacinações contra COVID-19. Altistas 2 - Além disso, analistas americanos acreditam que a atual relação de preços entre soja e algodão (171) é altamente favorável à soja. Ou seja, ou o preço relativo do algodão se recupera nos próximos dois meses ou haverá redução de área da fibra nos EUA, principal exportador global. A relação de equilíbrio estaria em torno de 121. Brasil Exportações 2020 - O Brasil quebrou vários recordes de exportação em Dezembro/20. Com 370,5 mil toneladas da fibra exportadas, foi o maior mês de exportação da história e também o ano que o país mais exportou algodão 2,1 milhões de toneladas, aumento de 32% em relação a 2019. Em termos de receita, foram exportados US$ 3,23 bilhões em 2020, também recorde. Brasil Exportações 2020_2 - Os maiores compradores de algodão Brasileiro em 2020 foram China (36%), Vietnã (16%), Paquistão (14%), Turquia (9%), Indonésia (8%) e Bangladesh (8%). Brasil Exportações 2020_3 - A cadeia do algodão foi a 7ª no ranking de exportações do agronegócio em 2020 em valor exportado, segundo análise do Insper Agro Global. Nas primeiras colocações ficaram complexo soja (1), carnes (2), produtos florestais (3), açúcar e álcool (4), milho (5) e café (6). China 1 - Os números do setor na China continuam muito positivos, com fiações operando 100%. As importações de algodão, por outro lado, estão mais lentas agora já que as quotas autorizadas pelo governo (sem o imposto de 40%) praticamente se esgotaram. O mercado aguarda para este mês 894 mil toneladas em novas quotas de importação. China 2 - Em Novembro/20 a China importou 196,5 mil toneladas de algodão, volume 87% maior que Nov/19. O maior exportador foram os EUA (41%), seguido do Brasil (29%). Os números de Dez/20 serão divulgados no início de Fevereiro. EUA Área plantada 21/22 - A revista Cotton Grower divulgou suas projeções de área a ser plantada a partir de Março nos EUA. Segundo pesquisa realizada pela publicação, a área plantada de algodão no país deve reduzir em torno de 4,7% na próxima safra. Um dos principais fatores são preços mais atrativos de outras commodities como soja. Cotton Brazil – Depois do lançamento e do evento na China no mês passado, este mês estão programados webinars Cotton Brazil Days na Índia (21/1), Vietnã (25/1) e Coréia do Sul (28/1). Os eventos estão sendo realizados pela Abrapa, Anea e Apex Brasil em parceira com as Embaixadas do Brasil no exterior e entidades locais do setor têxtil. Agenda – Na próxima Terça, 12/1, o USDA divulgará o primeiro relatório mensal de 2021. A expectativa é para mais um ajuste para baixo na previsão de produção 20/21 dos EUA.

Postado em: 08/01/2021


Abrapa lança Plataforma de Business Intelligence (BI) do programa Cotton Brazil

​Desde a última sexta-feira, 18, mais de dois bilhões de dados do algodão brasileiro e mundial estão disponíveis na plataforma BI do Cotton Brazil, projeto idealizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Nacional de Exportadores de Algodão (Anea). O primeiro evento internacional utilizando a plataforma foi o 2020 Cotton Outlook Forum, em Qingdao, realizado pela China National Cotton Exchange e co-realizado pela Abrapa. Mais de 300 indústrias chinesas estiveram presentes na ocasião.

​Desde a última sexta-feira, 18, mais de dois bilhões de dados do algodão brasileiro e mundial estão disponíveis na plataforma BI do Cotton Brazil, projeto idealizado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Nacional de Exportadores de Algodão (Anea). O primeiro evento internacional utilizando a plataforma foi o 2020 Cotton Outlook Forum, em Qingdao, realizado pela China National Cotton Exchange e co-realizado pela Abrapa. Mais de 300 indústrias chinesas estiveram presentes na ocasião. A plataforma é uma ferramenta de inteligência de mercado que trabalha com big data e foi criada para ajudar a alavancar as exportações da pluma do Brasil através da coleta, processamento, organização e análise de um grande volume de dados sobre produção, preços, comercialização, consumo de algodão no Brasil e no mundo. Ela foi concebida com o objetivo de contribuir com as ações comerciais e promocionais do algodão brasileiro mostrando, por exemplo, o market share do Brasil e de seus concorrentes em cada país importador. Para explorar as possibilidades do sistema, o interessado só precisa acessar https//cottonbi.com.br, se cadastrar e navegar por um completo leque de informações sobre a pluma brasileira. O diretor de Relações Internacionais da Abrapa, Marcelo Duarte, que apresentou o programa Cotton Brazil aos Chineses, falou dos diferenciais da nova plataforma. “Nas últimas três safras, o Brasil dobrou a produção de algodão; ocupou o quarto lugar como maior produtor da fibra no mundo, e conquistou o posto de segundo maior exportador. Nossa meta é continuar aumentando a participação do algodão brasileiro no mercado externo tanto em termos de volume vendido quanto de valorização do produto. Para isso, além de focarmos nos nossos quatro pilares (qualidade, sustentabilidade, rastreabilidade e promoção), precisamos ter informações confiáveis, precisas e atualizadas sobre os mercados onde atuamos”, enfatizou Duarte. Este é o primeiro evento oficial, após o lançamento do Cotton Brazil, no último dia 8 de dezembro, e conta com o apoio da Embaixada do Brasil na China e de dois grandes parceiros no país, a China National Cotton Exchange (CNCE) e a Beijing Cotton Outlook (BCO). O objetivo maior da iniciativa é alçar o país ao topo do ranking da exportação mundial de algodão até 2030, e a Ásia é um continente estratégico. No total, o projeto vai abranger nove países asiáticos, China, Bangladesh, Vietnã, Turquia, Paquistão, Indonésia, Índia, Tailândia e Coreia do Sul. 21.12.2020Imprensa AbrapaCatarina Guedes – Assessora de Imprensa(71) 98881-8064Ivana Ramacioti – Assessora Assistente(71) 98836-0313www.abrapa.com.br

Postado em: 21/12/2020


Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

​ALGODÃO PELO MUNDO #48

Algodão em NY - Rali de alta continuou esta semana graças a dados macroeconômicos positivos e firmeza no mercado da fibra. O contrato mar/21 fechou nesta quinta em 77,19 U$c/lp, com alta de 3,9% na semana.Altistas 1 - Ontem foram divulgados os dados das vendas semanais de exportação e embarques dos EUA. As vendas semanais foram de 96 mil toneladas. Já os embarques (exportações) ficaram em 64 mil toneladas.Altistas 2 - O Brasil segue em ritmo forte de exportações. Foram embarcadas 159 mil toneladas de algodão nos primeiros 9 dias úteis de Dezembro.China - Foi realizado hoje na China o 2020 Cotton Outlook Forum, em Qingdao. O evento contou com a presença de 300 indústrias Chinesas e foi realizado pela China National Cotton Exchange e co-realizado pela Abrapa, através do projeto Cotton Brazil.China 2 - O Diretor de Relações Internacionais da Abrapa, Marcelo Duarte apresentou a iniciativa Cotton Brazil, que busca aumentar as exportações brasileiras de algodão através dos pilares qualidade, sustentabilidade, rastreabilidade e promoção comercial.China 3 - O clima dos industriais no evento em Qingdao era de muito otimismo, já que as fiações do país estão operando em ritmo 100%! As indústrias desejam comprar mais algodão importado, pois o algodão nacional custa mais caro e sua qualidade está deixando a desejar. Índia - Apesar dos altos estoques (1,5 milhão de toneladas), as notícias vindas do país asiático também são muito boas pois as fiações já estão trabalhando com capacidade 100%, animados com as boas margens.Cotton Brazil – Esta semana foi lançada a plataforma BI do Cotton Brazil, o BI Cotton Brazil. Cadastre-se para conhecer este sistema de informação que conta já com mais de 2 bilhões de dados do algodão brasileiro e mundial. https//cottonbi.com.brÁrea Plantada - A Abrapa anunciou esta semana que devido aos problemas climáticos enfrentados este ano, a entidade prevê uma redução de 16% na previsão de área plantada na safra 2020/21. A Conab havia anunciado recentemente uma redução de apenas 6%. Beneficiamento 19/20 - Números até ontem Mato Grosso 95%; Bahia 99%; Goiás 98%; Minas Gerais 99%; Mato Grosso do Sul 100%; Maranhão 72%; Piauí 100%; São Paulo 100%; Tocantins 99% e Paraná 100%. Média Brasil 96% beneficiado.Plantio 20/21 - Números até ontem Mato Grosso 0,9%; Bahia 60%; Goiás 56%; Minas Gerais 38%; Mato Grosso do Sul 68%; Maranhão 0%; Piauí 50%; São Paulo 46%; Tocantins 55% e Paraná 60%. Média Brasil 16% semeado.Preços - A tabela abaixo ⬇ mostra os últimos movimentos de preços, índices e câmbio que impactam o mercado de algodão.

Postado em: 18/12/2020


Júlio Cézar Busato é aclamado presidente da Abrapa para biênio 2021/2022

​Em Assembleia Geral Extraordinária realizada nesta quarta-feira (16), a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) deu posse à nova diretoria que vai gerir a entidade pelos próximos dois anos. O novo presidente sucede a Milton Garbugio, a partir do dia 1º de janeiro. Desde a criação da Abrapa, em 1999, as eleições da presidência da associação seguem uma linha sucessória pré-estabelecida na composição da diretoria, que permite saber, com antecedência e por longo prazo, os próximos presidentes. Em sua plataforma de gestão, Busato elencou cinco frentes prioritárias de trabalho qualidade, rastreabilidade/dados, sustentabilidade, promoção e relações institucionais. "Minha missão será a mesma de todos os presidentes que já passaram pela Abrapa, entregar, no último dia do biênio, uma associação melhor e maior do que eu recebi. A Abrapa é hoje uma entidade de representação de classe modelo para todas as cadeias do agro, e é essa disposição de fazer sempre o melhor que nos faz referência em organização, qualidade e força", afirmou Busato. Dentre os desafios de dar o que ele chama de "um passo à frente em inovação", Busato definiu o avanço no programa Standard Brazil HVI, que trata da qualidade nos resultados de análise instrumental de fibra por HVI (High Volume Instrument). A meta é criar uma espécie de "visto" para o algodão brasileiro exportado, de modo que ele tenha, de antemão, a credibilidade do mercado. "O nome ainda é provisório, mas estamos chamando de Blue Card, uma iniciativa a ser implementada com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que, através de um certificado, ateste a rastreabilidade e a qualidade da fibra produzida no país, por meio de um programa de autocontrole", explicou. Também na linha da inovação, na área da rastreabilidade, na qual, atualmente, a Abrapa já tem uma estrutura que permite aos compradores e vendedores da pluma brasileira saber, através de um código de barras, o passo a passo do produto – de que fazenda veio, onde foi beneficiado, resultados de análise de HVI, etc – entre uma série de avanços, uma das metas mais arrojadas é lançar uma plataforma que permita a total rastreabilidade da cadeia de fornecedores. "Este é um projeto que já vem sendo desenvolvido, com a participação de duas grandes marcas do varejo nacional. Além da rastreabilidade total do processo produtivo, também será possível rastrear a sustentabilidade, atestada pelo programa ABR", adiantou Busato. A plataforma apresentada pelo novo presidente indicou a continuidade, expansão e avanço em todos os programas da Abrapa, como o movimento Sou de Algodão e o Cotton Brazil. Também há inovações no Congresso Brasileiro do Algodão (13º CBA), que, neste ano, acontece na Bahia. "Júlio, além de um excelente produtor, é uma pessoa competente, criativa e inquieta. Tenho certeza de que fará uma grande gestão, rumo à meta de todos nós, que é levar o algodão do Brasil ao topo", afirmou Milton Garbugio. "Este ano não teremos o nosso tradicional evento de posse, por conta da pandemia, mas, com certeza, em breve teremos muitas ocasiões de comemorar juntos", concluiu. Mini Bio Júlio Cézar Busato nasceu em Casca, no Rio Grande do Sul, há 59 anos. É descendente de uma longa linhagem de agricultores, o que inspirou sua formação de Engenheiro Agronômo, graduado pela Universidade de Passo Fundo/RS. Em 1987, mudou-se para a Bahia onde, com a família, fundou a Fazenda Busato/Grupo Busato, que produz, além do algodão, soja e milho, nos municípios de São Desidério, Serra do Ramalho e Jaborandi. É uma liderança de classe atuante e reconhecida no Brasil foi presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), do Programa de Desenvolvimento do Agronegócio (Prodeagro) e do Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão (Fundeagro). Desde 2011, quando começou a se dedicar à representação de classe, teve e tem assento em diversos fóruns, conselhos e câmaras do setor agrícola. Dentre estes, foi vice-presidente do Instituto Pensar Agro (IPA), preside a Câmara Temática de Insumos Agropecuários (CTIA/Mapa), e, a partir de 01 de janeiro de 2021, presidirá a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), da qual é vice-presidente, para o biênio 2021/2022. 17.12.2020Imprensa AbrapaCatarina Guedes- Assessora de Imprensa(71) 98881-8064

Postado em: 17/12/2020


CBA conquista o Prêmio Caio pela segunda vez

O 12º CBA foi eleito como o Melhor Congresso Nacional pelo Oscar dos eventos brasileiros, o Prêmio Caio. O maior encontro da cadeia produtiva do algodão leva para casa, pela segunda vez, o troféu, que reconhece valor o trabalho de empresas e profissionais da indústria brasileira de eventos e turismo. A disputa foi acirrada concorreram ao famoso jacaré dourado 363 cases, 69 empresas, em 41 categorias. O CBA levou o ouro na categoria Congresso Nacional.Para construir o 12º CBA, a Abrapa contou com mais de 1000 pessoas envolvidas em todo o processo. Toda a coordenação e concepção é fruto da parceria entre a Abrapa e a Comunicato Eventos. “Juntos, construímos, em dois anos de muito trabalho, uma experiência única para nossos congressistas, levando o melhor da pesquisa, tecnologia e networking, sendo referência para o agronegócio do Brasil”, celebrou Milton Garbugio, presidente do Congresso na premiada edição.

Postado em: 16/12/2020


BIOISUMOS: Comunicado à sociedade e ao mercado

A Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), o Grupo Associado de Agricultura Sustentável (Gaas), a Aprosoja Brasil e a CNA divulgaram, nesta quarta-feira (16), um comunicado aberto à sociedade e ao mercado, em defesa da produção "on farm" dos chamados bioinsumos. Esta classe de defensivos agrícolas naturais é aceitável, inclusive, na agricultura orgânica, e representa alternativas a mais para fortalecer o manejo integrado de pragas implementado pelos produtores agrícolas, além de uma possibilidade de redução de custos com produtos químicos. A carta é um manifesto contra notícias falaciosas acerca da fabricação de bioinsumos pelos próprios agricultores e a necessidade de registro para a liberação. Veja no link o documento na íntegra. ​Comunicado - Bioinsumos - assinatura - V2 (1).pdf

Postado em: 16/12/2020




Newsletter

Newsletter

Insira seu nome e e-mail para receber nossos informativos.

Nome:


Email: