Fiscais federais do Mapa visitam unidades de pesquisa, beneficiamento e análise de algodão no Mato Grosso

Postada em: 12/05/2022


Fiscais visitam unidades de pesquisa, beneficiamento e análise de algodão no Mato Grosso

Instituições de pesquisa, laboratório e indústria do Mato Grosso receberam, entre os dias 3 e 5, a visita técnica de fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A atividade integra a preparação dos profissionais para o programa de certificação oficial do algodão que se iniciou em janeiro, dia 24.

 

A parte prática do treinamento incluiu visitas de campo ao Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), na algodoeira escola, em Rondonópolis. Em Primavera do Leste, os fiscais percorreram as estufas, casas de vegetação e campos experimentais. O laboratório de classificação instrumental e visual, na Unicotton, em Primavera do Leste, e a Fiação da Cooperfibra, em Campos Verde, também constaram na programação do treinamento. A atividade teve o objetivo de promover um intercâmbio e a qualificação do corpo técnico.

 

Para os auditores do Mapa, foi importante verificar na prática todos os fatores que podem afetar a qualidade da fibra de algodão e, consequentemente, o produto.  "Os fiscais estão mais preparados para a realização da certificação, pois há a compreensão de que em todas as etapas existem pontos críticos e que necessitam de cuidados para a obtenção de um produto de qualidade", destacou o coordenador Geral de Qualidade Vegetal, do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal do Mapa, Hugo Caruso. Segundo ele, a expectativa é de que o setor produtivo possa contar com o aprimoramento dos controles e da oferta de produtos cada vez mais sustentáveis.

 

Essa etapa do treinamento serviu para consolidar os conhecimentos teóricos adquiridos durante as aulas virtuais. Durante os dias de campo, os fiscais conheceram desde o melhoramento genético, o manejo, o desenvolvimento da planta, a colheita mecanizada, o beneficiamento, até um laboratório de análise de algodão e uma fiação open end. "O treinamento é importante para os fiscais observarem a importância da classificação e análise do algodão na formação da mistura para a qualidade do fio e, consequentemente, do produto (tecido) acabado. Nessa safra faremos um piloto onde vamos ter os primeiros fardos certificados pelo governo brasileiro. Dando mais um passo importante na valorização do algodão brasileiro", destacou o presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato.