Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

Postada em: 14/01/2022


Destaque da Semana - Relatório de oferta e demanda do USDA divulgado na última quarta-feira impulsionou as cotações, com Dez/22 chegando a atingir a máxima de 97,25. 

- Algodão em NY – O contrato Mar/22 fechou ontem a 116,84 U$c/lp (+1,8%). Referência para a safra 2021/22, o contrato Dez/22 fechou a 95,68 U$c/lp (+1,8%). 

-Preços - Ontem (13/01), o algodão brasileiro estava cotado a 134,50 U$c/lp (+175 pts) para embarque em Jan-Fev/22 (Middling 1-1/8" (31-3-36) posto Ásia, fonte Cotlook).

Destaques do relatório mensal de oferta e demanda do USDA divulgado na última quarta-feira (12/1)

-Produção global de algodão para 21/22 foi reduzida em 132 mil tons, para 26,34 milhões de tons. Índia (5,99 milhões de tons), China (5,88), EUA (3,84) e Brasil (2,87) se mantêm como principais produtores. 

- O consumo global ficou praticamente em linha com a previsão anterior: 27,05 milhões de tons (-7 mil). China (8,6 milhões de tons), Índia (5,66), Paquistão (2,44) e Bangladesh (1,92) são os principais consumidores da fibra em 21/22.

- A previsão para o comércio internacional em 21/22 foi reduzida em 83 mil toneladas em comparação às estimativas do mês passado, chegando então a 10,14 milhões de toneladas.  China (2,12 milhões de tons), Bangladesh (1,81), Vietnã (1,63) e Paquistão (1,2) são os principais importadores da fibra.

- Por fim, os estoques finais globais caem 158 mil toneladas em relação às previsões do mês passado, levando os números finais de estoque em 21/22 a 18,5 milhões de toneladas, ou 68,4% do consumo anual.

- EUA 1 - Apesar do plantio só iniciar na primavera, o acompanhamento da seca nas regiões produtoras já começou. A preocupação é com o Texas, onde a seca se intensificou nos últimos dias, segundo dados oficiais. 

- EUA 2 - Vendas para exportação realizadas na primeira semana de 2022 foram expressivas: 414 mil fardos de 480 lbs. Os principais compradores foram China (145 mil fardos), Índia (76 mil), Paquistão (40 mil), Vietnã (38 mil), e Bangladesh (32 mil). 

- Logística 1 - Congestionamentos em alta no maior porto de contêineres do mundo, em Xangai. Muitas transportadoras marítimas desviaram a rota para lá para fugir dos atrasos no porto de Ningbo, que reduziu as atividades após surto de Covid-19.  

- Logística 2 - Os problemas não estão restritos à China. Em 5/jan, uma fila com 167 navios tentava entrar no porto de Los Angeles. Lá, o tempo médio de espera para embarque era de 28,2 dias e a média para descarregar superava 11,5 dias. 

- Índia - Para protestar contra a alta nos preços do algodão, indústrias têxteis de Tamil Nadu, no Sul da Índia, programaram uma greve de dois dias no fim do mês. O governo estuda reduzir o imposto de importação para conter a especulação.

- Paquistão - A falta de algodão no mercado paquistanês tem favorecido o aumento na cotação da commodity também por lá. Nesta semana, os preços atingiram novas máximas. A safra 2022 só irá chegar ao mercado em junho. 

- Semeadura 2021/22 - Até ontem (13/01): BA (83%); GO (80%); MA (52%); MG (75%); MS: (97%); MT: (21%); PI (81%); PR (100%); SP (81%). Total Brasil: 38% plantado.

-  Exportações - O Brasil exportou 50,5 mil tons de algodão na primeira semana de jan/22, segundo dados do Ministério da Economia.

- Preços - Consulte tabela abaixo ⬇

WhatsApp Image 2022-01-14 at 10.43.51.jpeg

Este boletim é produzido pelo Cotton Brazil, programa da Abrapa. Contato: cottonbrazil@cottonbrazil.com