Unidos pela fibra: Movimento Sou de Algodão dobra o número de marcas parceiras em 2021

Postada em: 11/01/2022


O Movimento Sou de Algodão, iniciativa da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), demonstra que continua crescendo vigorosamente e fechou o ano de 2021 com 802 marcas parceiras, sendo 404 novas marcas, o dobro no comparativo com dezembro de 2020 e uma média de 33 novas marcas ao mês. Entre os destaques que aderiram ao longo do ano passado estão Shoulder, Maria Filó, Reserva, Karsten, Alphabeto, Baby Duck e Grão de Gente. 

 

Muitos são os benefícios exclusivos desfrutados pelas marcas parceiras, como sua divulgação no site www.soudealgodao.com.br, nos conteúdos em redes sociais, a aproximação com outras empresas para novos negócios e com universidades, e o direito de uso da tag Sou de Algodão em seus produtos. Durante o ano passado, foram quase 20,5 milhões de tags utilizadas pelas marcas parceiras, que ajudam o consumidor a identificar produtos feitos com, no mínimo, 70% de algodão e a fazer escolhas mais conscientes. 

 

Com marcas sediadas em quase todos os estados brasileiros, São Paulo aparece no topo, com 264 empresas, seguido por Santa Catarina, com 148, Minas Gerais e Paraná, com 71 marcas cada, e Rio de Janeiro, que soma 48. Das regiões, a maior participação vem do Sudeste, com quase 50% (398 marcas), seguido pelo Sul com 33% (266 marcas), o que reflete o mapa da indústria e do empreendedorismo no Brasil. 

 

De acordo com Júlio Cézar Busato, presidente da Abrapa, o movimento Sou de Algodão agrega valor a todos participantes da cadeia produtiva. Além disso, as mais de 800 marcas também participam do programa "Sou de Algodão Conecta", que destaca o potencial de novos negócios entre os participantes. Em 2022, este trabalho será intensificado com novos encontros e novidades como uma área de fórum para a interação direta, para trocas de experiências e novas parcerias.

 

"Temos parceiros que trabalham em etapas diferentes da produção do algodão, e o que nos une é justamente a matéria prima. É super importante termos esse pilar dentro do movimento para nos conhecermos melhor e podermos avançar muito mais no futuro. Queremos levar transparência, rastreabilidade, sustentabilidade e mostrar quem somos, como pensamos e o que fazemos para os consumidores", explica Busato.

 

Outra novidade do ano no movimento Sou de Algodão foi o Programa SouABR, lançado em outubro do ano passado em parceria com a Reserva, que trouxe uma nova realidade ao mercado por meio do primeiro programa de rastreabilidade de origem certificada do algodão, na Indústria Têxtil nacional, tendo como proposta oferecer ao público um "raio-x" da peça adquirida com a disponibilização das informações de todo o caminho percorrido até a compra.

 

Fernando Sigal, Diretor de Produto da Reserva, explica que a preferência por algodão certificado e rastreável demonstra um compromisso não apenas com a qualidade dos produtos, mas com todo um cenário de responsabilidade socioambiental e transparência na indústria têxtil. "Trabalhar em prol de um impacto cada vez mais positivo, garantindo relações de trabalho justas e produção responsável, é crucial para nos mantermos de pé como uma marca adequada ao nosso tempo", finaliza.

 

Para 2022, a Abrapa, por meio do Movimento Sou de Algodão, irá lançar mais uma coleção, desta vez com a Renner, para o público feminino. Busato afirma que a concretização da rastreabilidade real do algodão com certificação socioambiental, em maior número de peças, traz novas perspectivas para o mercado. "O consumidor quer ter, comprovadamente, matéria prima e uma cadeia de valor responsável, na fabricação da peça que compra", explica. 

 

Para conferir todas as marcas que se juntaram ao Movimento, até agora, é só acessar o site