Produtores de algodão intensificam diálogo com o Irã

Postada em: 07/12/2021


Os cotonicultores brasileiros deram mais um passo em direção ao mercado iraniano. As relações comerciais entre os dois países foram tema de reunião entre dirigentes da Abrapa e o embaixador do Irã no Brasil, Hossein Gharibi, nesta terça-feira (7), na sede da entidade, em Brasília.

 

Atualmente, não há exportação direta de algodão brasileiro para o país asiático, mas há potencial para a parceria. "O Brasil tem acessado este mercado de maneira indireta, através de outros países que acabam reexportando para o Irã. Nosso objetivo é estabelecer um link direto de exportação para lá", afirma o diretor de Relações Internacionais da Abrapa, Marcelo Duarte.

 

Segundo ele, as negociações podem envolver a compra de fertilizantes do Irã, especialmente ureia. Desde 2019, o país é um relevante fornecedor brasileiro do produto. "É um insumo muito importante para as culturas do algodão e do milho no Brasil", ressalta Duarte. Também participaram da reunião desta terça-feira o diretor executivo da Abrapa, Marcio Portocarrero e, de forma remota, o presidente da entidade, Júlio Cézar Busato.

 

A aproximação entre os dois países teve início no dia 24 de novembro, em um webinar promovido pelo programa Cotton Brazil com empresas têxteis iranianas e a Embaixada do Brasil em Teerã. O mercado têxtil iraniano está em expansão, e a estimativa é de que as compras externas sejam da ordem de 120 mil toneladas de pluma por ano, o que posiciona o país entre os dez maiores importadores de algodão do mundo.