Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

Postada em: 05/11/2021


Destaque da semana – Mais uma semana volátil, com contrato de Dez/21 em alta, mas com Dez/22 estável.  Hoje, o mercado abre em alta com notícias de uma pílula de tratamento de Covid-19 desenvolvida pela Pfizer e número acima do esperado de geração de empregos nos EUA.

- Algodão em NY – O contrato Dez/21 atingiu nova máxima nesta semana e depois recuou, fechando ontem a 116,46 U$c/lp (+2,4%). Referência para a safra 2021/22, contrato Dez/22 fechou ontem praticamente estável a 91,76 U$c/lp (+0,04%).  

- Preços - Ontem (04/11), o algodão brasileiro estava cotado a 132,00 U$c/lp (alta de 725 pts com relação à semana passada) para embarque em Dez/21-Jan/22 (Middling 1-1/8" (31-3-36) posto Ásia, fonte Cotlook).

- Altistas 1 - Os contratos futuros da bolsa Chinesa de Zhengzhou (ZCE), apesar de se valorizarem menos que NY (ICE), fecharam a semana em alta, a 151,79 U$c/lp (+1,3%).  
 
- Altistas 2 - O número de compras a fixar pelas fiações aumentou 16.32 milhões de fardos esta semana. As indústrias estão ainda buscando melhores oportunidades para fixar seus preços.  

- Altistas 3 – Relatos de diversos países com grande consumo de algodão são de que as fiações continuam tendo margens atrativas mesmo com os atuais níveis de preços, pois têm conseguido repassar no preço dos fios.

- Baixistas 1 – Entretanto, o setor de tecidos e confecções está começando a resistir a essa tendência de alta nos preços do algodão. A questão é como os consumidores finais aceitarão novos aumentos, considerando que já está havendo alta de preços causada por outros fatores, como energia e transportes.

- Baixistas 2 – As vendas de exportação dos EUA ficaram bem aquém do ritmo recente da semana passada, com 38 mil toneladas vendidas. A China foi o maior comprador (26%), seguida pela Turquia com (20%). 

- Baixistas 3 – O ritmo de compra mais lento da China provavelmente se deve ao fato de que os preços internos têm estado relativamente mais atraentes na última semana, reduzindo incentivo ao algodão importado.

- China 1 - A China está vivendo mais uma onda de Covid-19, o que levou o governo a adotar medidas drásticas para conter o vírus a qualquer custo. É o que se chama de política de Covid-Zero.

- China 2 – Apesar dos enormes custos envolvidos, a China é a única nação no mundo a implementar a estratégia de Covid-Zero. Singapura, Austrália e Nova Zelândia já passaram a tratar o vírus como endêmico.

- Índia - A Confederação da Indústria Indiana (CII) estima que as exportações de produtos têxteis da Índia aumentem 81% de 2019 a 2026, atingindo US$ 65 bilhões. Só de tecidos, a projeção é de incremento de US$ 4 bilhões.

- Vietnã 1 - Indústrias têxteis vietnamitas enfrentam escassez de mão de obra após o fim dos lockdowns por conta da pandemia de Covid-19. Pesquisa nacional indica que apenas cerca de 40% dos trabalhadores planejavam voltar ao trabalho.

- Vietnã 2 - É que os trabalhadores ainda não se sentem seguros, devido ao baixo índice de vacinação do país (44%).  Indústrias estão tendo que pagar bonificações adicionais para atrair mais profissionais.

- Vietnã 3 - À medida em que as relações entre EUA e China se deterioraram, o Vietnã emergiu como um grande polo industrial exportador, com as exportações anuais aumentando quase vinte vezes nas últimas duas décadas, para US$ 283 bilhões no ano passado.

- Agenda 1 – Na próxima terça-feira (9/11), a Abrapa assina convênio com a China National Cotton Exchange (CNCE) para realizar ações de promoção do algodão Brasileiro na China em 21/22. Entre os destaques, a co-realização de dois grandes eventos, em Qingdao e Beijing, em Dezembro de 2021 e Março de 2022. No horário oficial do Brasil, o evento ocorre na noite de segunda-feira (8/11). 

- Agenda 2 – Também na terça-feira (9/11), o USDA divulgará seu relatório de oferta e demanda global (WASDE).

- Beneficiamento 2021 - Até ontem (04/11): BA e TO (91%); GO (99%), MA (64%); MG (96%), MT (77%). Os estados que já chegaram a 100% foram MS, PI, SP e PR. Total Brasil: 81% beneficiado.

- Exportações - O Brasil exportou 203,0 mil tons de algodão em outubro/21, montante 16% menor ao embarcado no mesmo período de 2020. No acumulado de agosto a outubro de 2021, o volume embarcado já soma 394 mil toneladas.

-  Semeadura 2021/22- O plantio da nova safra já começou em dois estados: SP (24%) e PR (2%). Total Brasil: 0,13% plantado.  

- Preços - Consulte tabela abaixo ⬇

Este boletim é produzido pelo Cotton Brazil, programa da Abrapa. Contato: cottonbrazil@cottonbrazil.com
WhatsApp Image 2021-11-05 at 11.44.40.jpeg