Abrapa visita fazendas e laboratórios do Mato Grosso

Postada em: 04/05/2021


Na última semana, a Abrapa percorreu diversas cidades do Mato Grosso, com o objetivo de ouvir os cotonicultores da região e falar sobre a importância da adesão ao programa Standard Brasil HVI (SBRHVI). O périplo incluiu unidades produtivas e laboratórios de classificação nas cidades de Primavera do Leste, Campo Verde, Sapezal e Cuiabá.

 

O Mato Grosso é o principal estado produtor de algodão do país. Na safra 2019/2020, respondeu por 2,09 milhões de uma produção nacional de 3 milhões de toneladas da pluma.  Para o ciclo 2020/2021, a previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é de 1,79 milhão de toneladas, para uma produção nacional de 2,5 milhões.

 

Durante os quatro dias que permaneceram na região, o presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, o vice-presidente, Alexandre Schenkel, e o diretor-executivo, Marcio Portocarrero, tiveram reuniões com diversos produtores e com os grupos Bom Futuro, Maggi e Scheffer. Além disso, visitaram os laboratórios da Unicotton, Copperfibra e Kuhlmann.  O giro terminou com reunião na Associação Matogrossensse dos Produtores de Algodão (Ampa).

 

"Quando se conhece mais o Mato Grosso, o potencial da tecnologia aplicada e a vontade dos cotonicultores de produzir cada vez mais, temos a certeza de que seremos o maior exportador mundial de algodão num curto período de tempo. E, num horizonte um pouquinho maior, o maior produtor de algodão do mundo", afirma Busato.

 

Até o final do semestre, a Abrapa pretende completar uma rodada pelas principais regiões produtoras da fibra no país, para atualizar as associações estaduais sobre os projetos que vem desenvolvendo na busca de mercados e na valorização da pluma do algodão brasileiro – como o Cotton Brazil e o Sou de Algodão. "Com as associações estaduais, vamos ampliar mercado e valorizar o algodão brasileiro", destaca o presidente da Abrapa.