O jogo de cama pode influenciar na qualidade do sono, pele e cabelos

Postada em: 20/04/2021


A escolha de um bom jogo de cama vai muito além do aconchego e do conforto térmico. A escolha do tecido que ficará em contato com a pele e o cabelo pode trazer benefícios para eles se escolhido da forma certa.

 

Segundo a dermatologista Laís Leonor, da clínica Dr. André Braz, alguns tecidos são melhores que outros para quem tem alergias recorrentes de pele. "Os jogos de cama 100% algodão são naturais e dessa forma não irritam a pele", comenta. Outro benefício deste tipo de material é a praticidade de higienização, que permite diminuir a presença de ácaros.

 

A qualidade do sono ajuda na regeneração e renovação celular, explica também a dermatologista Roberta Almada. A médica conta que esse é um dos principais motivos pelos quais a pele precisa de cuidados antes de dormir.

 

O otorrinolaringologista e professor de medicina da PUC-PR, Allex Itar Ogawa, comenta que o tecido pode fazer diferença na qualidade do sono, uma vez que pacientes com doenças respiratórias alérgicas, como asma e rinite, podem causar microdespertares.

 

O médico recomenda que tecidos anti-ácaro sejam priorizados na escolha, e caso não haja essa opção, orienta que nos travesseiros, uma fronha com fecho de zíper e um lençol que envelope todo o colchão sejam usados.

 

Almada orienta que a textura do cetim gera menos atrito do que o algodão e, por conta disso, a pele e os cabelos deslizam de forma mais natural, causando menos atrições e fricções. Por outro lado, o tecido de cetim não absorve a oleosidade natural dos fios e da derme, e ajuda a manter a hidratação natural, diferente do algodão.

 

A dermatologista Laís comenta que a seda também é um tecido natural e recomendado para os alérgicos. A médica ressalta que este é um tecido mais nobre e adequado para dias frios.

Segundo Júlio Cézar Busato, presidente da Abrapa, que abraça o Movimento Sou de Algodão, o algodão é benéfico para a pele e os cabelos por ser confortável e não abafar. "Por essas propriedades, isso significa que a pele e o cabelo em contato com tecidos de algodão ficarão distantes de alergias", diz.

O algodão também é um bom tecido para usar em dias mais quentes ou mais frios. No verão, ele mantém o corpo mais fresco e tem a capacidade de absorver o suor, secando rapidamente. Já no inverno, que a pele fica mais ressecada por conta dos banhos quentes, a suavidade deste tipo de tecido mantém a temperatura do corpo.

 

"Mais do que benefícios para a pele ou os cabelos, o algodão promove bem-estar e saúde, afinal, o repouso com qualidade é fundamental para os dias agitados que vivemos", completa Júlio.

 

Um dos benefícios do tecido de algodão é que ele não acumula energia eletrostática, principalmente no outono e no inverno. Dessa forma, os cabelos não ficam arrepiados após um boa noite de sono.

 

A principal recomendação dos profissionais é que na hora da higienização do material, as recomendações do fabricante sejam seguidas à risca. Além disso, é importante que as peças de algodão sejam guardadas em armários secos e arejados, distante de locais que acumulam vapor e facilitam a proliferação de fungos e de bactérias.

 

Ogawa explica que o ácaro – que provoca espirros e alergias – não se desenvolve na poeira doméstica. Porém, restos epiteliais, sejam eles descamação da pele, seja saliva, são facilitadores para o desenvolvimento do bicho. Por isso a importância da higiene com os forros de cama.

 

De forma simplificada, Ogawa diz que as preferências são individuais e de acordo com cada tipo de pele ou de cabelo. Para escolher a ideal, vale consultar um profissional para um jogo de cama certeiro. 


Evelyn Nogueira

20 Abr 2021 - 07h07

Revista Casa e Jardim