Abrapa participa do Fashion Revolution Day

Postada em: 19/04/2021


A sustentabilidade da moda começa na semente. Foi isso que a Abrapa mostrou na abertura do Fashion Revolution Day, promovido nesta segunda-feira (19) pelo Centro Universitário FMU | FIAM FAAM. No evento virtual, direcionado a estudantes e professores de moda, a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão apresentou como vem se estruturando para entregar uma fibra produzida com responsabilidade socioambiental, qualidade e rastreabilidade de origem.

 

Júlio Cézar Busato, presidente da entidade, deu destaque ao programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), certificação que garante a sustentabilidade da produção brasileira de algodão e é estruturada em três pilares: social, ambiental e econômico. Para obter o selo ABR, a unidade produtiva precisa atender a 178 critérios, entre eles o cumprimento de 100% da legislação trabalhista brasileira, das normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Código Florestal Brasileiro, entre outras normas. 

 

"Um levantamento da Embrapa Territorial, referendado pela Nasa, chegou à conclusão que os produtores brasileiros de algodão preservam 35% de sua propriedade com vegetação nativa", informou Busato. Segundo ele, 75% das fazendas obtiveram o selo ABR na safra 2019/2020, e a previsão é de ampliação na atual safra. "Esperamos que, no futuro, isso tenha um valor econômico", afirmou.

 

Outra iniciativa pró-sustentabilidade apresentada pela Abrapa no Fashion Revolution Day é o Movimento Sou de Algodão, que promove o uso da fibra natural pela indústria têxtil brasileira por meio do incentivo ao consumo responsável e já conta com mais de 500 marcas parceiras. Uma das frentes de atuação do movimento é justamente a informacional, que prevê o relacionamento com universidades como parte de um conjunto de ações e projetos para educar e informar a população sobre os benefícios do algodão.

Manami Kawagushi Torres, gestora de relacionamento institucional do Sou de Algodão, mostrou a evolução do movimento desde a sua criação, em 2016, e chamou atenção para o crescimento da conscientização dos consumidores durante a pandemia do novo coronavírus. "O consumidor passou a ficar mais em casa, a acessar mais informações e a buscar não só roupas mais confortáveis, mas também mais duráveis, produzidas por marcas mais responsáveis. Isso mudou a forma como a indústria passou a atuar", avaliou.

 

Desafio Sou de Algodão + Casa de Criadores

 

A Abrapa aproveitou a oportunidade para promover o 2º Desafio Sou de Algodão + Casa de Criadores, um concurso voltado exclusivamente para estudantes de instituições brasileiras de ensino superior em moda, design ou áreas afins, reconhecidas pelo MEC.  A iniciativa tem como objetivo divulgar e incentivar o uso do algodão como matéria-prima.

Os estudantes interessados devem apresentar, até o dia 15 de outubro, uma coleção de seis looks produzidos com pelo menos 70% de algodão. As inscrições são individuais ou em duplas e é necessário ter um professor coordenador regularmente vinculado à respectiva faculdade ou universidade. Para saber mais, acesse https://soudealgodao.com.br/desafio/

 

Fashion Revolution

O Fashion Revolution é um movimento global presente em 100 países, que incentiva maior transparência, sustentabilidade e ética na indústria da moda por meio da conscientização, mobilização e educação. A iniciativa surgiu em 2013, após o desabamento do edifício Rana Plaza, que abrigava confecções de roupas em Bangladesh, deixando mais de mil mortos.

A data é lembrada anualmente na chamada Semana Fashion Revolution, que começou hoje e vai até o próximo domingo (25). Estão previstos cerca 180 eventos, 100% digitais, organizados por representantes, estudantes e docentes de moda todo o Brasil - o Fashion Revolution Day da FMU integra essa agenda.