Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

Postada em: 07/08/2020


Algodão em NY - O mercado de algodão continua muito influenciado pelo cenário de oferta relativamente abundante e demanda em recuperação, tensões China-EUA e clima no "cotton belt".  Apesar de uma semana positiva, o mercado hoje opera em baixa com a escalada nas tensões EUA-China, após o governo americano dar um ultimato às duas redes sociais chinesas.  O contrato dez/20 fechou ontem a 64,85 c/lp, com ganho de 2,64%  na semana.

 

Altistas 1 - As notícias sobre a situação climática no "cotton belt" seguem movimentando o mercado.  Atualmente, as condições quentes e secas continuam prejudicando as lavouras no país, colocando uma pressão positiva nos preços.

 

Altistas 2 - Na última segunda-feira, em seu relatório semanal de condições das lavouras, o USDA indicou que seis dos sete principais estados produtores apresentaram pioras. Como o clima não melhorou depois deste último relatório, traders estão esperando números ainda piores no próximo relatório que sai segunda-feira.

 

Baixistas- Em mais um caíitulo do conflito geopolítico entre China e EUA esta semana, o Presidente Trump assinou ordens executivas que podem banir aplicativos chineses TikTok e WeChat dos EUA em 45 dias caso não sejam vendidos a empresas americanas.

 

Relatórios- Semana com muitos dados para digerirmos.  Na segunda-feira o relatório das condições das lavouras americanas podem indicar mais uma piora para a safra 2020.  Na quarta-feira, sai o relatório mensal de oferta e demanda do USDA com os números de fechamento do ano comercial 19/20 e novas previsões para 20/21.  Além disso, todas as quintas, temos os números de exportação. E na próxima sexta-feira, possivelmente, negociadores comerciais da China e dos EUA podem anunciar uma revisão da Fase 1 do acordo comercial entre os dois países.

 

China -Os leilões de algodão das reservas estatais Chinesas (China Reserve) mantém uma taxa de sucesso de 100%, com vendas acumuladas de 225 mil toneladas. Até 24 de julho, um total de 217 empresas participaram dos leilões, incluindo 150 fiações têxteis e 67 comerciantes de algodão.

 

Índia - Relatórios de mercados apontam que o maior produtor mundial de algodão está sofrendo com surto de lagarta rosada _ Pectinophora gossypiella.  A infestação está ocorrendo na província de Maharashtra, que é um importante estado produtor.  Durante a safra 2017/18 as infestações da praga resultaram em significativas perdas.

 

Lavouras - O relatório do USDA desta semana indicou um declínio de lavouras classificadas como Boas + Excelentes, de 49% para 45%. O algodão emergido chega a 91%, o mesmo que a média de cinco anos e abaixo do ano passado, com 92%. O índice de formação de maçãs é de 54%, abaixo da última temporada e da média de 5 anos (55%).

 

Colheita - A Abrapa informou o progresso da colheita da safra 2019/20 de algodão no Brasil até ontem: Mato Grosso: 58%; Bahia: 44%; Goiás: 68%; Minas Gerais: 60%; Mato Grosso do Sul: 90%; Maranhão: 50%; Piauí: 63%; São Paulo: 95%; Tocantins: 44% e Paraná: 99%. Média Brasil = 56,3% colhido

 

Comercialização - A Abrapa também informou o progresso da comercialização nos dois principais estados produtores: Mato Grosso = 79% para safra 2019/20 e 36% para safra 2020/21 e Bahia = 85% para safra 2019/20 e 35% para safra 2020/21.

 

Exportações - De acordo com dados do Secex, exportações brasileiras de algodão em pluma totalizaram 77,2 mil toneladas em Julho, recorde para o mês.  O recorde anterior tinha sido de 47 mil ton em Jul/19.

 

Exportações 2 - Como os números de Julho/20, o Brasil fechou o ano comercial 19/20 (Agosto/Julho) com os seguintes números de exportação de algodão em pluma: 1,95 milhões de toneladas exportadas, totalizando US$ 3,07 bilhões em receitas.  Aumento de 48,5% em relação a 18/19.

 

Preços - A tabela abaixo ⬇ mostra os últimos movimentos de preços, índices e câmbio que impactam o mercado de algodão.

tabela 07.08.jpeg