Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa, com as principais notícias do mundo do algodão

Postada em: 03/07/2020


- Algodão em NY - Hoje é feriado nos EUA.  Os americanos já estão celebrando o dia da Independência que será sábado, 4 de julho. Os contratos futuros de algodão em NY fecharam os últimos sete dias com boas altas.  O contrato dez/20 fechou a última semana com alta de 5,44%, a 62,95 c/lp.

 

- Altistas - Na última terça dia 30/6, o USDA divulgou o relatório final de área plantada dos 🇺🇸.  Os números do órgão mostraram a maior redução nas últimas duas décadas: queda de 1,6 milhão de acres entre a previsão de março e o número final. Além disso, a região do Oeste do Texas, principalmente, vem sofrendo com clima o que pode gerar alto abandono de lavoura.

 

- Altistas 2 - Dados divulgados pelo governo americano esta semana mostram que o país criou empregos em junho a um ritmo muito mais rápido do que previsões de mercado.  Os dados mostraram que as empresas dos EUA aumentaram 4,8 milhões de empregos em junho, o maior número desde o governo começou a manter registros em 1939.

 

-Baixistas- Ainda pesam sobre o mercado os números baixistas de oferta e demanda.  O USDA estimou no seu relatório de junho que os estoques finais do mundo em 2020/21 deverão ser de 22,8 milhões de toneladas, ou 91,5% de relação estoque/uso. O próximo relatório sai dia 10 de julho.

 

- US Preço Mínimo - Para os produtores americanos, os níveis atuais de preço, tanto para safra antiga quanto nova (que acabou de ser plantada), permanecem abaixo do preço mínimo no país. Isso ocorre porque o preço mundial ajustado (AWP) permanece abaixo da taxa do "loan".  Assim, além dos US$ 19 bilhões que os produtores (de todas as culturas) estão recebendo por conta do Covid-19, produtores de algodão receberão a diferença entre o preço de mercado e o preço mínimo (LDP). 

 

- US Plantio - Para a semana que terminou em 28/6, o USDA estimou o plantio da safra de algodão de 2020 estável em 96%.  O mesmo relatório indicou que 35% das áreas já estão com algodão emergido, mesmo índice da última safra e um ponto percentual abaixo da média de cinco anos.

 

- China - Venderá cerca de 500 mil toneladas de algodão de suas reservas estaduais, de 1º de julho a 30 de setembro, e planeja recompor os estoques novamente como parte do programa de rotação para melhorar a qualidade de seus estoques, disse o governo em uma declaração na terça-feira, segundo a Bloomberg.

 

- China 2 - De acordo com dados da Xstone, foi divulgado o índice dos Gerentes de Compras da China, trazendo o maior resultado para indústria desde dezembro de 2019. Em junho, o índice de manufatura da gigante asiática chegou a 51,2, superando as expectativas do mercado, de 50,5, e o resultado de maio (50,7). A continuidade da expansão do setor manufatureiro chinês foi possível graças ao recente alívio das restrições impostas como forma de combate ao coronavírus, já que epidemia está sob controle na maioria do país.

 

- Índia e Paquistão - As monções (fenômeno climático que provoca fortes chuvas na Índia e países vizinhos) estão melhores que a média na Índia e no Paquistão, aumentando a expectativa de produtividade das lavouras.  Os países são respectivamente 1º e 5º maiores produtores mundiais da fibra.

 

- Brasil Colheita - A Abrapa informou o progresso da colheita da safra 2019/20 de algodão no Brasil até a semana passada: Mato Grosso: 0,3%; Bahia: 8%; Goiás: 22%; Minas Gerais: 14%; Mato Grosso do Sul: 37%; Paraná: 90%;  São Paulo: 89%; Maranhão: 13,5%; Piauí: 30% e Tocantins: 8%. Média Brasil: 4,7 % colhido

 

Brasil Exportações - De acordo com dados do Secex, exportações brasileiras de algodão totalizaram 56,7 mil toneladas em junho, uma queda de 12,60% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram embarcadas 64,9 mil toneladas. O volume também ficou 18,47% abaixo do registrado em maio, quando o Brasil exportou 69,6 mil toneladas.

 

Preços - A tabela abaixo ⬇ mostra os últimos movimentos de preços, índices e câmbio que impactam o mercado de algodão.

edição 03.07 tabela.jpeg