Boletim de Inteligência de Mercado Abrapa com as principais notícias do mundo do algodão

Postada em: 15/05/2020


- Algodão em NY - As fortes vendas internacionais de algodão americano divulgadas ontem (com mais de 80% para a China) deram suporte para o mercado de algodão em NY esta semana.  O contrato dez/20, referência para a safra nacional 19/20, fechou a última semana com leve alta de 1,4%, a 57,76 c/lp. 

 

- Algodão em NY 2 - Os preços de algodão em NY aumentaram mais de 20%, desde que atingiram a mínima cotação, em 12 anos, de 48,35 c/lp, em 1º de abril, na esperança – principalmente - de uma retomada da atividade econômica, já que governos de todo o mundo estão flexibilizando as restrições por conta da Covid-19.

 

- Oferta e Demanda - Em linha com as previsões de outras fontes como o ICAC e a Cotlook, o USDA reduziu em seu relatório mensal de oferta e demanda o consumo de algodão para este ano comercial (19/20).  O órgão previu a demanda global em 22,9 milhões de toneladas, 3,3 milhões de toneladas a menos que 18/19.  Esta foi a maior queda anual em mais de um século, devido ao impacto da Covid-19.

 

- Oferta e Demanda 2 - Por outro lado, o relatório americano trouxe alívio ao mercado ao estimar uma retomada no consumo global em 20/21.  Em sua primeira previsão para o ano comercial que inicia em agosto de 2020, o órgão previu consumo de 25,4 milhões de toneladas.

 

- China – As fiações chinesas ainda estão trabalhando bem abaixo da capacidade, devido à demanda. Apesar disso, segundo fontes locais, nas últimas semanas houve muito interesse de compra de algodão (americano 🇺🇸), a maioria por uma grande estatal.  Questões geopolíticas podem estar motivando estas compras.

 

- China 2 – Porém, nos últimos dias, houve um aumento de demanda, por parte de empresas privadas chinesas. Segundo o trader Thomas Reinhart, ainda não é um "boom", mas o mercado parece estar melhorando, e a crise, ficando no "retrovisor", na China.

 

- China 3 – Em linha com a percepção acima, o governo do país asiático divulgou esta semana dados econômicos de abril, que mostram uma recuperação contínua na indústria e nos investimentos, bem como recuperação surpreendente nas exportações.  O consumo interno ainda está fraco.

 

- Safra 19/20 - De acordo com levantamento de da Abapa, o algodão, na Bahia, encontra-se no estádio fenológico, em torno de 170 dias, em uma área total de 313.566 hectares plantados. A estimativa de produção para esta safra, no estado, é de 593 mil toneladas de pluma, praticamente a mesma do ano anterior.

 

- Colheita - Segundo a Abrapa, São Paulo e Paraná já estão avançados na colheita do algodão desta safra. Algumas regiões de MS e norte de MG estão iniciando a colheita. As primeiras áreas de GO e BA começam a ser colhidas em junho, enquanto em MT, maior produtor nacional, a colheita inicia em julho.

 

- Plantio - O USDA divulgou esta semana mais um relatório sobre o progresso do plantio da safra 2020.  Segundo o levantamento, praticamente 1/3 da área foi plantado até 10 de maio.  O plantio está acelerado, em comparação com o ano passado (24%), com a média dos últimos cinco anos (27%).

 

- Exportações - O Brasil exportou 30,5 mil toneladas de algodão em pluma na primeira semana de maio/20.  Com isso, o volume total exportado em 2019/20 (desde agosto de 201919) ultrapassou 1,77 milhão de toneladas.

 

- Preços - A tabela abaixo ⬇ mostra os últimos movimentos de preços, índices e câmbio que impactam o mercado de algodão.