Movimento Sou de Algodão promove imersão para empresas da moda com Cotton Trip

Postada em: 21/07/2022


O Movimento Sou de Algodão, iniciativa da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), promoveu na quarta-feira (13/07), uma experiência imersiva para as empresas do universo da moda por meio da Cotton Trip. Os representantes das marcas associadas à Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), parceiras ou não do movimento, passaram o dia na Fazenda Pamplona, da SLC Agrícola, para conhecerem os programas de sustentabilidade Algodão Brasileiro Responsável (ABR) e ABR-UBA (Unidade de Beneficiamento de Algodão). Além disso, puderam acompanhar os processos na lavoura e conhecer os detalhes sobre o plantio, manejo e colheita da fibra. 

 

Foram quase 40 pessoas das principais marcas varejistas do Brasil, como Aramis, Arezzo&Co, Calvin Klein, Centauro, Cia. Hering, C&A, Dafiti, Grupo Malwee, Grupo Soma, Guess, Inbrands, La Moda, Loungerie, Magalu, Marisa, Pernambucanas, Reserva, Riachuelo e Shoulder. A abertura do evento contou com a apresentação de Edmundo Lima, Diretor Executivo da ABVTEX, que deu as boas-vindas aos visitantes e reforçou que os consumidores estão mais conscientes e que as marcas associadas à instituição trabalham para garantir a origem responsável dos itens oferecidos nas lojas.  "Essa é a importância do varejo de moda conhecer as etapas do processo produtivo e a origem dos produtos. Incentivamos que eles participem desta Cotton Trip para saberem mais sobre e ampliarem as iniciativas de comunicação aos consumidores, destacando os aspectos da transparência e da responsabilidade socioambiental", explica Lima.

 

Os visitantes também participaram de palestras com Diego André Gold, coordenador de produção na da Fazenda Pamplona da SLC Agrícola, que apresentou o grupo e a unidade produtiva, e de Marcio Portocarrero, Diretor Executivo da Abrapa, que falou sobre o ABR, que segue rigorosos critérios ambientais, sociais e econômicos e que já certificou 84% da safra 20/21. Já na lavoura, tiveram a oportunidade de conhecer a plantação, manejo e a colheita. Além de acompanharem in loco, na sede da fazenda, como são verificados os critérios de certificação ABR, incluindo, os alojamentos, lavagem de EPIs, depósito de defensivos, entre outros. Na parte da tarde, o grupo visitou a algodoeira para saber mais sobre o processo de beneficiamento de algodão. 

 

O presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, acredita que, conhecer o passo a passo da fibra, desde a semente, passando por todos esses processos, e chegando na prateleira da loja, faz com que o consumidor, por meio das marcas, passem a valorizar a matéria-prima que tem a origem responsável. "Existe uma distância entre o campo e o comprador final, e, para diminuir isso, precisamos informar e chamar a atenção para os atributos: natural, leve, hipoalergênico, suave e responsável. Por isso, passamos a convidar os empreendedores do mundo da moda para fazer parte do nosso Movimento e de eventos como a Cotton Trip, para que possamos compartilhar o nosso propósito: unir a cadeia, em torno da moda responsável e do consumo consciente", explica Busato. 

 

A programação também contou com uma visita ao escritório da Abrapa. Na ocasião, Silmara Ferraresi, gestora do Movimento Sou de Algodão, fez uma apresentação sobre a iniciativa e o Programa SouABR, 1° programa de rastreabilidade por blockchain da indústria têxtil do Brasil. Lançado em 2021, hoje, tem parceria exclusiva com a Reserva no mercado masculino e com o Grupo Renner, no feminino. A abertura para todas as marcas que tiverem interesse em participar acontecerá em 2023, mas já podem se inscrever nesse link. Silmara esclareceu como é realizado o trabalho para a conscientização e a democratização do uso desta fibra responsável. "Queremos despertar um senso coletivo em torno do consumo consciente, agregar alto valor ao produto de algodão brasileiro e estimular e fomentar o mercado, através da união dos agentes da cadeia produtiva e da indústria têxtil. Para isso, falamos com os nossos produtores e com o consumidor final por meio de estilistas, universidades com cursos de moda, stylists, influenciadores e jornalistas, além de fiações, malharias, tecelagens, confecções, ONGs, marcas e varejistas", explica Silmara. 

 

 

Sobre Sou de Algodão

É um movimento único no Brasil que nasceu, em 2016, para despertar uma consciência coletiva em torno da moda e do consumo responsável. Para isso, a iniciativa une e valoriza os profissionais da cadeia do algodão, dialogando com o consumidor final com ações, conteúdo e parcerias com marcas e empresas. Outro propósito é informar e democratizar o algodão brasileiro, que segue rigorosos critérios ambientais, sociais e econômicos, com 84% da safra 20/21 com a certificação ABR (Algodão Brasileiro Responsável).