Plano Safra é apresentado e atende às demandas da cotonicultura brasileira

Compartilhar
Share on emailMande esta matéria por e-mailShare on printImprimir
Postada em: 05/05/2016

Nesta quarta-feira (4), a Abrapa acompanhou a cerimônia de lançamento do Plano Safra para o biênio 2016/2017 no Palácio do Planalto. O documento prevê um valor total de R$ 202,88 bilhões em recursos de crédito aos produtores rurais brasileiros, aumento de 8% em relação à safra anterior (R$ 187,7 bilhões). Desse valor, R$ 168,83 bilhões serão para o custeio das safras (aumento linear de 10% referente ao plano anterior), dos quais R$ 115,8 bilhões a juros controlados, passando a ser de 9,5% ao ano. As medidas, que entram em vigor no dia primeiro de julho e se estendem até 30 de junho de 2017, estão de acordo com as expectativas e objetivos dos produtores de algodão.

_MG_7841.jpg


O presidente da associação, João Carlos Jacobsen, o vice-presidente Arlindo Moura e o diretor executivo, Márcio Portocarrero representaram os cotonicultores e se mostraram satisfeitos com a inclusão da principal demanda da Abrapa e dos produtores. “A mais importante delas, a facilitação da entrada de recursos estrangeiros, trará vários benefícios para o produtor e para toda a cadeia”, avalia João Carlos Jacobsen a respeito da emissão e correção dos Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs) em moeda estrangeira.

04052016-_T3A9707-Editar.jpg

O CRA é um título de crédito representativo de promessa de pagamento em dinheiro emitido com base em lastro de recebíveis originados de negócios entre produtores rurais, ou suas cooperativas, e terceiros. Atualmente eles já existem, mas sua garantia só pode ser dada em moeda local. “O produtor de algodão terá agora um volume maior de recursos disponíveis e a entrada de investimentos internacionais com custo mais baratos. Isso será muito positivo para a cotonicultura brasileira”, comenta o presidente.

Diante desse esforço acerca dos CRA’s, o governo enviará um projeto de lei ao Congresso Nacional para viabilizar esses recursos extras para a agricultura. "A LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) e o CRA são instrumentos que estamos trabalhando para angariar recursos extras para a agricultura, além do crédito oficial. São instrumentos de financiamento a mais", disse a ministra da Agricultura, Kátia Abreu que, assim como presidente Dilma Rousseff, cumprimentou o Sr. Jacobsen e Abrapa em seus agradecimentos. 

Benefícios para o produtor

A estimativa do Governo Federal é de um aumento de recursos para o próximo Plano Safra de 12 bilhões de reais este ano e de 40 bilhões a 60 bilhões de reais em 2017. Hoje a produção nacional de algodão gira em torno de 1,5 milhões de toneladas, o que gera por volta de 5 a 6 bilhões de reais de resultado. O presidente, João Carlos Jacobsen, ressalta que o volume de recursos destinados do Plano Safra ajuda a definir a área plantada, que a seu ver deve aumentar neste ano. “Apesar de dependermos em grande parte dos preços internacionais que são estabelecidos pela bolsa de Nova Iorque, em dólar, os recursos do Plano Safra refletem diretamente na área plantada pelo produtor. Além do aumento de 20% dos custeios para juros controlados, poderemos ser beneficiados também pelo aumento da demanda de valor por CPF, uma demanda da Abrapa, que foi parcialmente contemplada neste plano”, pondera o presidente.  Sr. Jacobsen destaca que o documento para o próximo biênio apresenta um aumento de limite de crédito em 10% para cada produtor, permitindo R$1,32 milhão por CPF de produtor.