Sou de Algodão brilha na passarela da Casa de Criadores, em São Paulo

Compartilhar
Share on emailMande esta matéria por e-mailShare on printImprimir
Postada em: 30/07/2018


No último dia 23, o movimento Sou de Algodão estreou na passarela da Casa de Criadores, evento de moda de vanguarda, conhecido por revelar novos estilistas nacionais, que aconteceu até o dia 27 de julho, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP). Além de uma coleção assinada por 16 estilistas que se destacaram na história da Casa de Criadores, em colaboração com 16 marcas parceiras do Sou de Algodão, o movimento também teve lugar de destaque na semana de moda, com um lounge no qual o público visitante pode conhecer mais sobre a iniciativa da Abrapa e a produção de algodão no Brasil, interagindo com a fibra e com os números do setor, estes últimos dispostos em mobiles, e apresentados também num passo a passo da cadeia produtiva, nas paredes e no chão do estande. Uma lavoura com algodoeiros de verdade foi reproduzida no local, que contou ainda com fardos verdadeiros da pluma, iguais aos que seguem para a indústria têxtil dentro e fora do país.

A estratégia da Abrapa com a ação foi chamar a atenção dos criadores para as possibilidades que a matéria-prima oferece, que vão do casual ao chic. O evento tem curadoria do jornalista, empresário e agitador cultural André Hidalgo, diretor criativo da mostra. Para o presidente da Abrapa, Arlindo de Azevedo Moura, a participação na Casa de Criadores é um passo muito importante para o movimento, que, na fase atual, tem como um dos targets os estilistas,designers e profissionais de criação de moda.

“Se queremos conquistar o consumidor final e atingir a meta de incrementar o mercado nacional em dez pontos percentuais em cinco anos, precisamos ter produtos interessantes e desejáveis em algodão. Somente através dos criadores de tendências e daqueles que as tornam objetos de desejo comercializáveis, conseguiremos atingir o nosso objetivo”, explica Arlindo Moura. O presidente da Abrapa lembra que o movimento foi apresentado aos players de moda do Brasil durante a São Paulo Fashion Week, na edição de outubro de 2016. “Eventos com a SPFW e a Casa de Criadores são palcos estratégicos para a consolidação do Sou de Algodão”, afirmou.

A coleção Sou de Algodão abriu os desfiles na segunda-feira, ao som da voz potente da cantora Xênia França, referência de empoderamento feminino na atualidade. Os estilistas e marcas que criaram as peças conceituais desfiladas foram Fernando Cozendey, para Track&Field; Ben (Leandro Benites), para Martha Medeiros; Isaac Silva, para Bordana; Weider Silveiro, para Inbordal; Renata Buzzo, para Mon Petit; Neriage (Rafaella Caniello), para Toalhas Appel; Felipe Fanaia, para Estyllus; Rocio Canvas (Diego Malicheski), para Cor com Amor; Rober Dognani, para Cataguases; Diego Fávaro, para ITM Têxtil; Igor Dadona, para Cêdro Têxtil; Ken-Gá (Livia Barros), para Mensageiro dos Sonhos; Martins Tom, para Ahmar Manifesto; Another Place (Rafael Nascimento), para Santanense; Alex Kazuo, para Vicunha e Heloisa Faria, para Canatiba.